Festa de São Sebastião - 8º Dia da Novena

E o oitavo dia da novena dedicada a São Sebastião, sexta feira, 18 de janeiro, contou com a participação especial das comunidades Aeroporto, Samaúma, Vista Alegre, Jardim das Magnólias, Bela Vista e arredores.

A santa missa foi presidida pelo pároco da Igreja de Nossa Senhora do Carmo de Luminárias, padre João Dantas. A coordenação da liturgia ficou por conta do Apostolado da Oracão e Movimento Mãe Rainha. A santa Bíblia foi conduzida dentro de um grande coração e um andor muito bem decorado em vermelho e branco.

Interessante notar que coincidiu com o dia em que foi colocado no altar uma casinha de madeira, onde a imagem do padroeiro foi acomodada, lembrando muito o ícone de Nossa Senhora Mãe Rainha.

Na encenação do penúltimo capítulo da vida de São Sebastião, senhoras dos dois movimentos entraram em procissão, trazendo as palavras que destacavam as pestes da época de Sao Sebastião, como doeças, guerras, fome, miséria, que o santo combateu até a morte. Após a apresentação, Pe. João Dantas reforçou que São Sebastião foi defensor do povo porque era soldado, mas não só do povo, mas defensor de Deus. Naquele tempo não se tinha a liberdade de adorar a Deus publicamente, como fazemos hoje, as pessoas eram ameaçadas e mortas mas Sebastião nunca negou sua fé.

Padre João disse ainda que as pestes eram como setas, as flechas que caíram como chuva em cima de São Sebastião, que sofreu o martírio por muitos de sua época e ainda hoje intercede por todos nós, que sofremos as pestes da depressão, do adulterio, da inveja, calúnia e muitas pestes atuais.

Padre João Dantas acompanhou as orações próprias da novena, conduzidas por pe. Antão e logo depois, deu a benção final a  todos.

A penúltima noite ainda contou com pescaria para a criançada e barraca de churrasquinhos, pastéis e refrigerantes. A comunidade se prepara para viver o grande dia da festa de São Sebastião, domingo, 20 de janeiro.

Vida de São Sebastião

8º Capítulo: São Sebastião - DEFENSOR DA HUMANIDADE!

De todos os flagelos que assolam a humanidade, nenhum há que seja tão terrível como a peste, as doenças, a fome e a guerra. Isto porque não há outros que possam ferir de forma tão violenta a pessoa humana. Nestes momentos lutuosos, o povo cristão volve seu olhar cheio de fé a São Sebastião. (...) Leia o capítulo completo, clicando aqui.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!